Este site está em novo endereço: visite www.liaamancio.com.br para novidades e updates!

segunda-feira, março 31, 2003

Crossover???

As Panteras + Bad Taste (clássico de Peter Jackson)
Veja mais imagens do novo filme de Drew Barrymore, Cameron Diaz e Lucy Liu (a ponta de luxo de "Chicago") aqui.

domingo, março 30, 2003

E hoje, às 21h, na Sony, passa o maior filme de monstro de todos os tempos. O mais bizarro, o mais sinistro, de tirar o sono.
Entediado? Boneca é sua alegria dominical!!
Hoje é domingo e passei parte do dia atualizando as leituras e os escritos necessários - um possível frila, um conto policial com o mistério já solucionado, agora é só terminar de narrar - e a atualização do Conga Conga Conga.
Sabe quem está de texto novo?
O Preacher, mandando muito bem, como sempre.
Aproveitem enquanto Conga Conga Conga continua com o layout atual.
Os arquivos da cara nova do zine estão aqui no micro e eu garanto, estão a minha cara.
* * *
Ovelha Elétrica
Não faço idéia de quem seja esse sujeito, mas apaixonei pelo menu à esquerda e pelas referências do cara. Confiram.
* * *
Passeando pelo Gardenal.org..
..uma comunidade hippie da qual faço parte (brincadeira, heh), me deparo com o seguinte texto no blog da Norma Propp, também uma associada:
15 razões pelas quais David Bowie é melhor que Deus.
Essa guria deveria fazer isso profissionalmente (se é que já não faz).
* * *
Hoje, no Soulseek, a boa é..
..Cleide Alves, a Sandy do Twist.
* * *
Já estou pensando em mudar a cara deste blog de novo.
Pensei no Elvis gordão em Las Vegas. Num sei. Vamos ver.

sábado, março 29, 2003

Momento Pureza
I'm Pucca! Visit Lovepucca.net to find out your Pucca Character!
Who's your Pucca Character? Take the quiz! Brought to you by Lovepucca.net!
Para quem não esbarrou ainda com essa toisinha totosa aí do teste, o nome da pimpolha é Pucca e ela é o carro-chefe do Vooz, estúdio coreano que se diz campeão de criação e licensiamento de personagens no mundo - se é ou não, não sei - mas estão prontos para bater de frente com a já tradicional Sanrio. De fato, vários bichinhos da galeria de personagens da Vooz já podem ser encontrados em estojos de latinha, papéis de carta e lojas de R$1,99.
Em breve, você tomará uma overdose de Pucca.
É Boneca prevenindo sua clientela.
* * *
Momento OldSchool Descontrol
Em breve conversa telefônica com uma criatura tão doente quanto eu (o sujeito que colocou Oompa Loompas na Ilha de Caras e hoje lascou um can-can num almoço de velhinhas), descobrimos como seria se Luciano Bahia encontrasse Poltergeist.
Sua música de trabalho se chamaria "Te quero, Carol Ann, venha para a luz". (essa tem que comer muito peixe pra lembrar)
* * *
Momento Dica Literária
Tem um McGuffin na minha vida atualmente, e este McGuffin é uma estátua em forma de falcão. Meu novo amigo Samuel Spade, também chamado de Sam, o cara que me faz companhia em meus momentos de solidão, deu o azar de ser contratado por duas figuras perigosas e que estão atrás do mesmo objeto. Para completar, há um catatau de policiais em sua cola, tentando resolver alguns assassinatos ocorridos no começo da trama.
E isso é O Falcão Maltês.
* * *
Momento Garanta Sua Aposentadoria Já!
Alguém aí foi à Maratona do Odeon ontem?
Eu.. dormi. Heh.
* * *
Ah! Crazy Horse! Eu tava na dúvida se você era o Crazy Horse da Reverb ou se tinha outro.. vou escanear o lance da peruca genital e colocar aqui.. é só achar a revista (é, esse não está no livro).

sexta-feira, março 28, 2003

Bom programa
A Loud do dia 12/04 terá Wonkavision, Canastra e Beach Lizards.
Ouviu?
Beach Lizards.
Ótima oportunidade para neófitos como eu, que não conseguiram ver a banda ao vivo enquanto existia.
Já o bom programa para hoje é a Maratona Odeon:
Embriagado de Amor (Punch-Drunk Love)
de Paul Thomas Anderson. Com: Adam Sandler, Emily Watson, Philip Seymour Hoffman, Luiz Guzmán. Melhor Direção no Festival de Cannes 2002. Sandler - Indicado a Melhor Ator no Globo de Ouro 2003. Novo filme do Diretor de BOOGIE NIGHTS - PRAZER SEM LIMITES, MAGNÓLIA.
Pré-Estréia às 23h
-
Filme SURPRESA às 1h45
-
Fome Animal (Braindead) às 4h30.
(pra botar O Senhor dos Anéis no chinelo e mostrar que Peter Jackson também é gente)
* * *
Mundo estranho
Ontem, ali na praia do Leme, do lado do Sindicato do Chopp, um homem se matou com tiros na cabeça (não vi. Não estava lá. Não sei se ele se acertou de primeira ou se foi necessário mais um. Não sei mesmo, desculpem). O cara estava dentro de um Audi. E aí você vê.
Sabe-se lá o que levou o sujeito a se matar (e, caralho, em plena praia do Leme!). Ou o que levou o sujeito a escolher a minha localização privilegiada, e não o Arpoador ou o mirante do Leblon. O papo hoje entre os porteiros das redondezas era de que o cara provavelmente devia estar devendo uma grana preta. Se matar não resolve o problema, apenas relega a outras pessoas a responsabilidade da dívida - não sei se o homem tinha filhos ou família. Não sei nada sobre ele, sei que, à noite, ele ainda estava na área, e policiais em volta.
Esse é o bairro calmo onde moro. Aquele bairro onde há uma associação de moradores para fazer bazares aos fins de semana, mas não toma providência alguma acerca de serviços básicos necessários aos moradores. Aquele bairro com fama de pacato, em cuja rua principal houve um tiroteio anteontem à noite. O bairro que aprendi a defender, embora não tenha sido criada aqui.
* * *
Depois nego não sabe..
Meus pais sustentam meus vícios. E, cada vez que tento parar, eles continuam.
Primeiro foi minha mãe, que começou a freqüentar encontros de ufologia e agora me manda, quase que diariamente, links de websites sobre teorias conspiratórias, raças extraterrestres e bizarrices do gênero. Eu brinco falando pra ela parar de andar com essas pessoas, que os amigos da minha mãe usam drogas, mas a verdade é que adoro isso.
Agora foi meu pai, que me deu de presente de aniversário um livro de Objetos Incomuns do mundo todo.
O livro, editado pela Taschen, é uma compilação da revista Colors, mais conhecida como "a Revista da Benetton" - revista que, inclusive, meu pai me trouxe numa dessas viagens ao exterior. Possuo a edição com uma peruca genital na capa, e o livro vai mais além: mostra desde cuias de chimarrão - algo realmente bizarro em qualquer país do mundo - até cereais infantis imitando lixo e coisas nojentas, passando, é claro, por sopas de letrinhas em HEBRAICO.
Genial.
Depois nego não sabe por que eu amo meus pais.
* * *
Super Guindaste
Ah, como eu amo o site dos Cowboys do Asfalto: conheça este guindaste descomunal.

quinta-feira, março 27, 2003

Ser o Caetano Veloso às vezes tem suas vantagens - por exemplo, ser indicado para o Oscar, não ganhar o Oscar mas ganhar aquela bolsa com 70.000 dólares em mercadorias - de cirurgia corretiva para miopia até ingressos para o Cirque Du Soleil em Las Vegas. Vários estabelecimentos comerciais dão coisas para artistas e celebridades em troca de sua simples presença nas lojas, o que atrai clientes.
Só não sabia que eu já tinha chegado a esse patamar - sabia que agora eu tenho Assessoria de Imprensa? E que não recebe nada por isso? Eu sei, eu sei, quando a gente está desocupado às vezes se ocupa com esses trabalhos voluntários, eu mesma já fiz isso.
Agora realmente não preciso mais me preocupar com a fama.. ela já está lá, e com o trabalho dessas pessoas lindas que me amam a ponto de falar de mim, me divulgando por aí e elaborando teorias sobre minha escalada para a popularidade, não preciso mesmo fazer mais nada!
* * *
Tou me sentindo a Madonna em "Cães de Aluguel".
* * *
E hoje, amiguinhos, vamos falar de MODA. Montei ontem uma palestra sobre as tendências Outono/ Inverno 2003 para um produtor que vai falar sobre orientalismo, borboletas, folk, peles/ lãs, estilo vitoriano, grafismos dos anos 60, rosas e vermelhos, e um pouco de anos 80 também - e você pode ter certeza de que eu não vou usar nada disso. O produtor é o mesmo que colocou anões vestidos de Oompa Loompas no desfile do Bicho Comeu na Ilha de C aras (atenção: você realmente leu anões + Oompa Loompas + Bicho Comeu + Ilha de Caras na mesma frase). Mas, na verdade, você pode esquecer completamente as próximas tendências e ler este artigo (em inglês) sobre moda para Trekkers, que pode salvar a vida de muita gente.
* * *
Eu gosto deste site de notícias. Costuma ser mais completo que muito jornal por aí - e por ser uma filial de uma empresa gringa, não deve nada nem teme anunciar que nossa governadora é uma ingênua que insiste em fazer as mesmas merdas que seu marido, que saiu do governo do Estado sem resolver nada e deixando um mega buraco no orçamento.
* * *
Agora vou ali ter uma vida. A *minha* vida, que anda interessante e ocupada pra cacete.

quarta-feira, março 26, 2003

Tou viva.
E o espírito do Caetano já foi embora. Eu acho. O problema desses artistas aparecidos é que ele pode voltar a qualquer momento. Agora sim estou tendo paz, melhorando da garganta, e minha mudança de nome começa a fazer efeito. Que bom, tive medo de sair declarando por aí coisas comprometedoras: imagina se eu saio por aí dizendo que "se eu tiver uma filha, vai se chamar Odara"? Ou "uma talvez Júlia, um quiçá Moreno"? Não senhor.
* * *
Tenho quase certeza de que esse lance do Caetano é uma tentativa extraterrestre de dominarem minha mente. Isso foi só o começo. Se eu começar a agir diferente do meu normal, não se espantem, são eles.
Enfim, procurando formas de me proteger, achei isso aqui:

o capacete de papel laminado
, que isola más influências de sua mente.

Acho super válido, e a partir de hoje usarei um desses dia e noite para me manter sã. E gata, porque o capacete é super fashion.

terça-feira, março 25, 2003

Puxa, Amigo Louxas!
Não é que sua dica deu certo?
Inspirada pela numerologia, mudei meu nome e minha sorte começou a mudar, principalmente no que diz respeito à minha popularidade.
Ontem já comecei a me sentir como o brasileiro mais célebre no exterior, nosso GE-NI-AL Caetano Veloso, e comecei a escrever que nem ele. Pela madrugada, tive um sonho tão real..
Sonhei que eu era o Caetano no programa do Silvio Santos e o Silvio dizia para mim:
- Caetano, você troca sua amídala direita por uma bola de pus?
- Sim não e o não é o sim e o naaaaada naaaaaada.
- Mas Caetanom, você não respondeu a minha pergunta: você troca sua amídala direita por uma bola de pus?
- Sim sim minha princesa art nouveau da natureza tudo mais pura beleza jaaaaazzzzzzz!
- Caetanom, você troca sua recém-adquirida bola de pus na amídala por uma viagem a São Paulo com seus colegas Doces Bárbaros no fim de semana?
- Não, meu rei.. me sinto mal mal mal, e essas palavras que não podem assim assado assez açores saem como açoites da minha garganta..
- Você troca sua bola de pus recém adquirida por uma caixa de Amoxil???
- SSSSSIIIMMMM!!!
* * *
Acordei e liguei para a clínica de otorrinolaringologia.
E foi assim que minha viagem no fim de semana melou.

segunda-feira, março 24, 2003

Mimosa disse que eu bebi. Não está acreditando nessa história de Lyah Hammahncyoh. Já falei, camaleoa, só porque esse papo meu tá qualquer coisa e eu já tou pra lá de Marrakesh não quer dizer que eu faça uso de álcool ou drogas.. eu transo uma vida saudável, sabe? Tudo seu azul tudo céu tudo azul e furta-cor, quase João Gil Ben muito bem mais barroco como eu.
E é isso. Ilê Ayê, como você é bonito de se ver.
Pois é.
Essa história de acender incenso e defumar a casa (ver post hippie do Caetano Veloso ali embaixo) não adianta nada.
No desespero para conseguir popularidade, resolvi apelar para o conselho do amigo Louxas que comentou aí embaixo, e mudar a grafia do meu nome para Lyah Hammahncyoh.
Ainda agora, no telefone com Mãe Rach de Oxum, a babalorixá mais conceituada dessas terras me deu também o conselho de começar meu sobrenome com 'H' - é a letra que traz todas as boas energias cósmicas quando aplicada a um sobrenome alterado pela milenar arte da numerologia.
Então meu nome agora é Lyah Hammahncyoh, um nome de muito axé.
EVOÉ, MOMO!! ANARRIÊ!
Chega de Evasão de Privacidade
Estou aderindo completamente à campanha da minha amiga Fernanda, depois desse fim de semana, digamos, conturbado.

domingo, março 23, 2003

Careca é a buceta da tua mãe, filhadaputa!!
Tirando a falta de modos do sujeito aí em cima, estou pasma como só tem gato na torcida do tricolor das Laranjeiras. Cada lorão que dá vontade de virar casaca - ao contrário dos estereótipos de outros torcedores de outros times, famosos pelo gosto musical peculiar e localização de suas residências - alguns inclusive são famosos pelo gosto musical peculiar + localização residencial + jogar RPG. Mas mantenho até o fim minha convicção de torcedora do América F.C., para não ser obrigada a discutir sobre assunto que eu assumidamente não domino: futebór.
De qualquer forma, valeu a experiência de rodar em volta do Estádio Mário Filho umas oito vezes atrás de ingressos - e sinto muito pela minha anfitriã e sua irmã, estas sim com MUITA vontade de ver o jogo.
* * *
Quem te viu, quem te vê...
Aí na volta passei nas Lojas Americanas da Figueiredo de Magalhães e quase pirei: cds da fase hippie do Caetano Veloso a 9,90. Muitos. Tinha o 'Transa', o 'Outras Palavras', o 'Qualquer Coisa'.. até os razoavelmente recentes 'Fina Estampa' e 'Circuladô' estavam no balaio. Comprei três. Não consigo evitar, Caetano Veloso tá no sangue, sabe? Provavelmente fui concebida ao som do "Qualquer Coisa", ou coisa parecida. Ou não, mas o fato é que eu gosto e pronto. Nunca vou largar o meu rock, é fato, mas também é fato que a cada dia que passa, me assusto com o fato de que, merda, isso é ser adulta.
É não dispensar uma saída noturna, mas ser irredutível quanto à programação: se eu falo há anos que não gosto de boates sem pelo menos um show bacana pra ver, não queiram me arrastar - a menos que eu esteja com a macaca e queira muito sair pra dançar. Mas isso tem sido RARO ultimamente.
E aí entra meu lado hippie (como se não bastasse Caetano Veloso), meu problema com boates é o astral dos lugares, que na maioria, acho péssimo.
Isso não tem nada a ver com as pessoas que estarão num determinado dia, mas no geral. Motel velho é a mesma história. Não gosto. Não é à toa que acendo incensos pela casa toda, incluindo defumadores de ambientes.
É.
Sou hippie mas sou limpinha.
Ser adulta também é dispensar programas em detrimento de responsabilidades como acordar cedo no dia seguinte ou entregar frilas para ontem. Mas como ser adulta não quer dizer 'ser chata'...
..eu ainda saio. E perco a linha. E nem comento nada. Quem viu, viu. Quem não viu.. perdeu.
* * *
Uma resenha de filme com referências a Turma da Mônica? Falando mais das coadjuvantes do que das protagonistas? Sem escrever uma linha sobre o plot do filme - e quando fala sobre a história, eu poderia estar tranqüilamente falando de OUTRO filme? Você só lê aqui, na Revista Bala.

sexta-feira, março 21, 2003

Spam! Spam! Spam!**
(**citei Monty Python e vocês nem notaram, né?)
A coisa foge ao controle quando você passa o dia fora de casa e hoje, especialmente, chega mais cedo porque combinou umas paradas lá longe, no lugar popularmente conhecido como "onde o vento faz a curva", pertinho do lugar apelidado de "cu do judas". Longe pra dedéu.
Então você, ansiosa pelo telefonema que vai te transportar ao maravilhoso mundo das guitarras mais fuderosas do planeta, atende o primeiro telefonema da noite.
Uma gravação.
Uma maldita gravação, oferecendo assinatura de revistas da Editora Abril.
Você desliga, mas a gravação está lá, travando seu telefone. Então você desliga e abstrai que o aparelho existe.
Logo depois, o telefone toca. Você atende, feliz.
Não, minha filha.
Ele não reside aqui. Sim, sim, é dele sim. Não, ele está morando em outro país e só volta daqui a um ano. De onde? Citybank. Anotado. Ã-hã, ok.

Tenho certeza de que, no momento, papai não está interessado numa promoção do Citybank. Se fosse a Crédit Lyonnais, talvez.
Então o telefone toca de novo.
Vejam bem, não se passaram 15 minutos.
Não era spam, era minha chefe para avisar que, quando é o presidente da empresa ouvindo o produtor de moda dissertar horas sobre um evento, você tem que esperar o tempo que for. Mesmo que você tenha compromissos e que já tenha passado do seu horário.
E nada do telefonema que me levará ao Deus da Guitarra.
Pelo menos eu aproveito para trabalhar num frila e garantir o leite das crianças. E é issaí.
* * *
Trocinho
Lembra daquele brinquedo, o Traço Mágico?
Você pode brincar online nele aqui, ó.
Pra que servem o Kazaa e o Soulseek se eu não consigo achar uma simples versão de uma música velha? Tenho várias versões de “Ain’t Misbehavin’”, mas nenhuma é a do musical de Fats Waller, tal qual a que tenho em vinil.
É, sou uma velha mesmo.
Uma das versões que tenho, na doce voz de Leon Redbone, dá uma paz que só meu diretório de hula consegue fazer igual.
É, eu tenho uma pasta só de hula. Guitarras instrumentais, vocais étnicos havaianos e o tal do Don Ho, que é uma espécie de “cantor típico havaiano”, clichezão mesmo, do tipo que faz versão à la Frank Sinatra para “Aloha Oe” (“Aloha Oe” todo mundo conhece mas talvez não saiba qual é. Lembra em “Lilo & Stitch” quando a irmã de Lilo canta uma música de ninar na rede? É “Aloha Oe”).
Outra de minhas versões para “Ain’t Misbehavin” parece ser do próprio Fats Waller tocando, e outra é com Louis Armstrong.. mas que coisa, eu sou uma velha e eu quero a do musical!
* * *
Ok, eu também tenho coisas com Lynyrd Skynyrd. Já expliquei aqui.
E hoje eu estou com algo definitivamente inexplicável em relação a Teenage Fanclub. É Lia mordendo a língua mais uma vez.
* * *
Para evitar posts pessoais que podem ferrar com sua própria vida..
É só lembrar do que eu via nos filmes
Lia, você tem o direito de permanecer calada, caso contrário tudo o que você disser poderá ser usado contra si mesma no tribunal.
Você também tem direito a um advogado. Caso não possa pagar, o Estado lhe fornecerá um.
* * *
Pronto, garota.
Agora fica quieta, senão tudo o que você está prestes a conquistar vai embora antes de vir.

quinta-feira, março 20, 2003

Teste: por que essa tag de negrito aberta?
PISCES (Feb 19–Mar 19): You may be ready now to take a chance, especially in romance. This can also mean that you are prepared to reveal more of your inner world to someone you want to get to know better. Personal disclosure increases the potential for intimacy, but both people will need to be ready to risk vulnerability in order to make it work.
Não, não e não.
Já disse que não estarei aberta a esse tipo de manifestação emocional durante muito e muito tempo. Não, não e não. Fim.
* * *
Os índios Navajo sabem
Em construção
Lá está o moicano
Seu jeito de andar bem acima do chão, sem medo de olhar para baixo
Andar no céu
Algumas pessoas dizem que os Navajo conhecem uma maneira de andar bem acima do chão, sem medo de olhar para baixo.
Oh não.
(palavras de Charles Michael Kittridge Thompson IV, também conhecido como Black Francis e Frank Black)
* * *
Ok, há uma notícia boa, pelo menos: dia 22 de abril, os Flaming Lips lançarão seu novo EP. O disquinho levará "Fight Test", que está em "Yoshimi Battles the Pink Robots", e covers de "Can't Get You Out of My Head", da Kylie Minogue, "Knives Out" do Radiohead e "The Golden Age", do Beck.
Deixa eu explicar..
Eu não ignoro pessoas no icq - a menos, é claro, que a criatura não se identifique ou não saiba dizer de onde pegou meu contato.
Meu problema é que eu durmo.
Ontem, por exemplo, apaguei às oito horas da noite (com o micro ligado), automaticamente recusando um convite irrecusável - seria minha primeira vez no Maracanã - e outra saída memorável - chopp, sorvete, coca-cola, o que seja, com um amigo de eras atrás.
Esse dia-a-dia de gente-grande está me matando.
Vejamos.. o que eu perdi ontem à noite?
- JB: Aviões de guerra dos Estados Unidos bombardearam ontem peças de artilharia do Iraque horas antes de acabar o prazo do ultimato que o presidente George Bush deu para ditador Saddam Hussein deixar o poder em Bagdá e partir para o exílio.
- Folha de SP: Cerca de 20 mil soldados americanos e 10 mil tanques avançaram sobre a zona desmilitarizada entre o Kuait e o Iraque, informa Fernando Canzian, de Washington. O prazo acabaria às 22h15 de ontem (horário de Brasília).
O Globo: João Paulo II fez ontem um último apelo contra a determinação de George W. Bush em atacar o Iraque. Ele disse que aqueles que promovem a guerra sempre terão que prestar contas à História.
Catzo.
Eu estava mais feliz dormindo, viu?

quarta-feira, março 19, 2003

e ontem...
..e ontem chorei baldes lendo jornal.
Porque aqui no Brasil eu faço a minha parte, sabe? Não posso resolver os problemas do país, mas faço o que posso - desde separar lixo para reciclagem e doar comida pra igreja até estudar pra carajo para influenciar futuros formadores de opinião (ops! pronto, falei). Mas não tenho como impedir que um redneck que só não é um filho de uma puta porque dona Barbara é uma senhora de respeito massacre um país inteiro por causa de rixa antiga com um chefe de estado de um país de leis razoavelmente antiquadas, onde é permitido que ele - o chefe - e seus filhos matem mesmo - embora ele cante "I can change, I can chaaaaange/ I can learn to keep my promises I swear it la la la la la la la", o país inteiro não merece bombardeio. São séculos de História, são décadas de pessoas. Malditos rednecks.
* * *
- Aaaahh, mas eu tenho vergonha de falar com ele!
- Não tenha, Lia. Você tem anos de zine.. você já é uma celebridade pop.

Confesso que tive medo dessa frase.
O Conga Conga Conga começou modesto, numa época em que eu produzia uns showzinhos em Niterói. Era num centro cultural ali no Ingá - sempre dois shows e uma exposição de artista iniciante, aluno da Escola de Belas Artes ou coisa parecida; um dia um amigo sugeriu uma banda de um selo do Rio de Janeiro, entrei em contato com os caras, levei eles pra tocar lá e conheci o tal dono do selo. Isso era comecinho de 97, e o tal dono do selo tinha um zine. Trocamos figurinhas, telefones, beijos, e num de nossos passeios pela praia de Icaraí, surgiu o papo:
- Por que você não faz um zine? Você já faz o jornalzinho da faculdade, já sabe como é a coisa..
Acho que foi a coisa mais romântica que já ouvi.
Antes da Gretchen voltar a virar moda, surgia o Conga Conga Conga, que começava modestíssimo mas tinha grandes pretensões: ME AGRADAR. Falar de Weezer, de Pixies, de desenho animado, de bandas-de-amigo que estavam começando.
O primeiro número tinha o Hervé Villechaise, o Tatu da Ilha da Fantasia, logo na capa, assim, pra esculhambar de vez.
O segundo tinha a musa Maria Odete Miranda, a Gretchen, e eu distribuía no Bedrock (alguém lembra do Bedrock? Enzzo [valheu Marco, às oitodamanhã eu não sou ninguém], Interzona Inc., Suzy's Down, I Believe In Santa Claus, LOVELESS - Pedro e Pescoço numa única banda, olha que perigo.. alguém? Fernanda????).
O terceiro veio na época em que a Elza Cohen organizou um festival-de-bandas-de-meninas em Niterói. Isso era fim de 97, começo de 98, e o zine já tinha opinião - mas era opinião cínica e sarcástica, sempre de bom humor, porque Conga Conga Conga só era sério pra falar de rock. Esses festivais-de-bandas-de-meninas geraram uma leve polêmica no meio, afinal, se as bandas-de-meninas precisavam de um festival só pra elas, isso me soa tão sexista quanto probir totalmente bandas-que-tenham-mulheres de tocar - embora ninguém negue que essa época foi ótima para o surgimento/ divulgação de uma "cena rock" e que esses festivais da Elza tenham sido fundamentais para que isso tenha acontecido.
* * *
Eu tô contando isso porque boa parte dos meus amigos que se dizem fãs-de-rock hoje não viveram essa época e acham que eu nasci ontem só porque me conheceram ontem. Ok, perdi MUITA COISA que aconteceu antes disso, mas ei, eu morava em Niterói e era terminantemente proibida de atravessar a baía de Guanabara! Nunca fui à Dr.Smith, mas pergunta quem já ia pra showzinho na GAP de Itaipu, no Gato Preto, no Bougainville, aos 14, 15 anos? Hein, hã, hum? Quem pegava metade da banda e era melhor-amiga da outra metade? Heh.
* * *
Ocorre que Conga Conga Conga, numa posição sempre de não comprar briga, mas comprando, publicou o famoso textinho sobre Riot Grrrls x Girl Power. Dizendo que era tudo a mesma merda, que mulher não precisa se autoafirmar - confesso que hoje eu desenvolveria bem melhor o tema, viu? E a partir daí foi colaboração em outros zines, credencial pra cobrir festival, entrevista na mtv.
Eu tinha MAIS pique pra tocar zine pra frente, confesso - quando você não trabalha ainda, você se dedica melhor a esses projetos. Nessa época, já estava numas de migrar o Conga Conga Conga pra internet, porque bancar xerox e correio era impraticável do jeito que o zine estava crescendo. Ainda fiz uma ediçãozinha impressa ([flashback mode]meu deus, isso foi na época em que eu peguei o.. meu deeeeeuuuusss..[/flashback mode])
Enfim, o resto da história vocês lêem depois. Eu tenho que trabalhar, mas já adianto que tem MUITA história. Depois eu conto da *cena rock de 98* (que o Fred Leal não conheceu, o Matias Maxx era um moleque que vivia batendo com o carro e Marcelo Camelo era um cara que falava "eu tenho uma banda de hardcore, vou te dar a demo, ouve aí e me diz o que acha!"), da tristeza que é ver bandas muito fodas indo pro limbo, de quantos sons e pessoas tive o prazer de conhecer.
Bicho, essa história dava um livro. Ou um artigo gigante pra alguma revista.
Vou pensar nisso com carinho.

terça-feira, março 18, 2003

Nunca tive uma Barbie Face. Estou sublimando minhas frustrações com meus amigos. Inacreditável. Então passei na Contém 1g e não fiz a festa porque não tou podendo, mas bem comprei uns lancezinhos. Roxos. Roxo-beterraba, assim, bem "tendência outono/ inverno 2003".
Eu.não.era.assim.
* * *
St. Patrick's Day
Era 1996 e eu morava em algum lugar da Europa - que certamente não era a Irlanda; no entanto, os irlandeses na cidade estavam em polvorosa. Por deus, aquele clima de festa era contagiante. Colei um aplique de trevo de feltro na minha bolsa-carteiro xadrez, que veio (o aplique, não a bolsa) dentro da embalagem de uma coletânea de músicas irlandesas de um festival dedicado à produção musical do país - o festival era lá no Parc de La Villette, se não me engano - e neste dia devo ter saído com o Jonathan, meu amigo inglês que só este ano descobri que não recebeu minhas cartas porque escreveu seu sobrenome com um garrancho terrível e eu não soube escrever corretamente.
Então que o Jonty bebia cerveja e comia aqueles sanduíches turcos de carne no espeto e depois não sabe por que voltou para Doncaster às pressas com algo que parecia ser uma grande gastrite. Podia ser também o chá com leite, hábito que acabei trazendo ao Brasil. Mas, até onde sei, chá com leite não traz nenhum mal estar.
Ocorre que a tal coletânea de músicas irlandesas passava longe de U2 ou Enya: nem rock nem paganices-Mundo-verde, era folk irlandês, Riverdance, essas coisas boas de bater o pé, sabe? Pirei nesse tipo de som, nunca mais larguei, culpa de St. Patrick.
E pirei no Jonathan também, mas isso é outra história.
* * *
Isso tudo é pra dizer que sim, há uma relação antiga de amor com a cultura irlandesa.
Que sim, agora eu até bebo cerveja (ir num pub e não tomar cerveja é como.. como.. sei lá, mas não é moralmente aceitável).
Mas que, bem, eu não agüento mais o tranco. Ainda estou me recuperando de sábado, o corpo dói, o resfriado pensa em atacar - resultado, nem fui a pub nenhum. Idade? Responsabilidade? Preocupação com a saúde? ISSO me preocupa, e essa é a história da minha segunda-feira.
* * *
Are you talking to me? Are.. you.. talking.. to.. me??
Simplesmente não estou me reconhecendo.
Como assim, "não estou apaixonada por ninguém no momento"?
Há algo realmente estranho pairando no ar, e eu não faço idéia do que seja.

segunda-feira, março 17, 2003

Lucha!! Lucha libre!!
Então você gosta de Los Straitjackets, hã? Já procurou na locadora-alternativa da sua cidade todos os filmes do El Santo, hum? Pois bem, chegou a sua hora de construir seu próprio wrestler - baseado em "Mucha Lucha!", um desenho gracioso da WarnerBros. sobre pessoinhas que freqüentam a International School of Lucha e ainda precisam lidar com um banheiro assassino (!!!). E é lógico que eu preciso ver isso.
* * *
Mais um
Johnny Hallyday (nome real: Jean-Phillippe Smet), le papa du rock français, está sendo acusado de assédio sexual por Marie-Christine, hostess de seu iate. Em abril de 2001, le rockeur teria forçado a moça a ter relações sexuais na cabine. O advogado de Hallyday alega que há décadas essas acusações aparecem e não passam de chantagem. Então beleza. Johhny, eu confio em você!
* * *
Coisas estranhas que eu acho por aí:
Register to win a pheasant hunt with Ted Nugent!

Tá aqui, ó, no site do próprio Ted Nugent, que tomou vergonha na cara e tirou el bigodón, agora se dedica à caça, e eu espero que ainda toque como dantes.
* * *
Lia [09:29 am]: Cris! Hoje tem pub!
(segunda-feira às nove da manhã e eu já estou pensando nisso. gah)
Toda semana eu digo que vou me aposentar dessa vida de sexo, drogas e rock'n'roll. Ok, não consumo drogas ilícitas há muito tempo, mas, bem, vocês entendem o que sexo, drogas e rock'n'roll quer dizer. Então. Estou dizendo de novo que me aposentei. Vamos ver até quando.. hoje é dia de St. Patrick e os pubs irlandeses do RJ estarão em festa. Droga. Terei que adiar minha aposentadoria por mais um tempo.
* * *
Música da manhã, "There's a Tear In My Beer", Hank Williams Sr. e Hank Williams Jr.

domingo, março 16, 2003

Sessão nostalgia
Elas não travam. Elas salvam seus arquivos automaticamente enquanto você escreve. Ok, elas escrevem apenas em um tipo de fonte, mas e daí? São muito mais seguras do que microcomputadores. Elas são as máquinas de escrever.
Nesse link você encontra uma coleção de máquinas de escrever de mil-oitocentos-e-bisavó-em-processo-de-pré-produção, algumas bem estranhas mesmo, antes de descobrirem o formato que daria origem às Remingtons e Olivettis da vida.
Curiosíssimo.

sábado, março 15, 2003

Porque ao Dr. Leopoldo não se nega esse tipo de coisa..
(fotos, pô. Tou falando de fotos)


Lia, definitivamente um pintinho amarelinho
* * *
E a canção do dia é..
"Oh Boy".
Ouvida nas versões dos Stray Cats, Buddy Holly & The Crickets, Wanda Jackson e Joe Ely & Todd Snider.
Quer a letra? Vou colar aqui, ó:
All of my lovin' / All of my kissin' / You don't know What you been a-missin'
Oh boy, when you're with me / Oh boy, the world can see That you were meant for me
All of my life I been a-waitin' / Tonight there'll be no hasitatin' /
Oh boy, when you're with me / Oh boy, the world can see That you were meant for me
Stars appear And the shadows are fallin'
You can hear My heart callin'
A little bit of lovin' Makes everything right
And I'm gonna see My baby tonight
All of my lovin' / All of my kissin' You don't know What you been a-missin'
Oh boy, when you're with me / Oh boy, the world can see That you were meant for me
.
Não, seus pélas.
Não tem endereço certo nem é recadinho escondido para pessoas especiais não.
Quando eu quero eu falo. Heh.
Blonde Ambition
Então resolvi descobrir na prática por que diabos toda mulher depois de uma certa idade pinta as madeixas de loiro, aquele loiro-claro-acinzentado padrão da cabeça de suas tias-avós: eu tenho fios brancos que me acompanham desde os quatorze anos, mais ou menos. Estivessem eles espalhados por toda a cabeça, mas não, se concentram na altura da franja. A franja que volta e meia tento cultivar, mas quando a raiz virgem dos cabelos aparece, parece ridículo uma moça de mochila com cabelos brancos. Eles não só entregam minha idade como mentem para mais.
No começo eu arrancava com pinça, um a um. Depois resolvi partir para a grosseria - um tonalizante acaju. Gostei da brincadeira, e se era para pintar os cabelos, que fosse com classe, que todo mundo soubesse. Verde. Azul. Cor-de-abóbora. Preto azulado. Vermelho vivo. Roxo. Rosa. Às vezes eu voltava com o castanho natural, quando me lembrava da química certa para consegui-lo de volta.
Loiro?
Não. Nunca pensei nisso. Coisa de patricinha.
Agora, que não preciso mais provar nada para ninguém, resolvi tentar. Me comprometi com meu cabeleireiro preferido a só usar batons fortes, para não ficar apagadinha (é, eu sou muito branca) e sentei lá na cadeira da colorista. Mechas. Um mês depois, mais mechas. E quando o branco começou a crescer, descobri que eles se misturavam às mechas claras, quase não aparecendo - sim, descobri que a gente, que é VELHA, precisa do loiro para disfarçar a idade que teima em aparecer. Descobri que com mechas, a raiz não fica tão marcada quando a cor natural começa a crescer. Que nem toda loira é burra eu já sabia, mas não sabia que toda loira chama muita atenção na rua. Algumas pessoas dizem que foi a coisa mais radical que já fiz nos cabelos até hoje - pudera, em mais de dez anos, nunca tive cabelos de cores convencionais - isso pra mim é diferente.
Então é isso.
Estou gostando de pensar que sou a Debbie Harry, a Sandra Dee, a Kátia Flávia - a Madonna não que é pretensão demais.
Agora vou ali terminar o site dos garotos (não o oficial, mas o paralelo), matar as cólicas com exercício (eu coloco Stray Cats bem alto no som e danço compulsivamente), ver um bom show de blues num lugar legal, dançar numa festa rockabilly logo depois e daí, depois disso tudo, encosto minha cabeça amarela no travesseiro e durmo como um anjo até amanhã.

sexta-feira, março 14, 2003

Punheteiros de plantão..

A fofucha abraçando a mamãe aí em cima não é a Rafaela Fischer: é Liv Tyler, antes de saber que era uma Tyler e ainda achava que era filha de Todd Rundgren (outro roquêro responsa), abraçando mamãe Bebe "passa-o-rodo" Buell.
A fofucha agora é a maior gostosa da paróquia e será Bettie Page no cinema. As informações (sobre o filme, não sobre a vida sexual da mãe da Liv Tyler) são daqui.
Acho que preciso urgentemente voltar a BH
Não sei por que insisto em comer pão de queijo borrachudo das padarias da Gustavo Sampaio ou aquela m*** do pão de queijo do Fornalha se toda vez que como quase choro de saudades do pão de queijo da Joana.
* * *
Não sei por que insisto em tomar qualquer café se o café do Zé Antônio é imbatível.
* * *
Essa semana não fui ao Paddy Fla's, mas em compensação tenho lembrado bastante do chopp com menta do Stadt Jever.
* * *
Perdeção de linha
Esses logos do Google estão perdendo a linha, né não? O de hoje, homenageando Albert Einstein, se superou.
* * *
A melhor banda do mundo hoje se chama..
The B52's. Por que? Por causa de 'Rock Lobster', simples assim.

quinta-feira, março 13, 2003

Sério que existe um documentário do Warrant chamado "Blood, Sweat and Beers"?
Meu deus.

Só tenho duas palavras a acrescentar: eu+quero.
Eu não escrevi nada ontem?
É, não escrevi nada ontem.
Ter um trabalho e uma vida pessoal às vezes impedem que a gente dê notícias. Heh.
* * *
Walk The Line
James Mangold, diretor de Copland e Garota, Interrompida, está finalizando o roteiro de Walk The Line. Se você reconheceu o título de algum lugar, então não preciso dizer que é um filme sobre a vida do man in black Johnny Cash.
A família de Cash já aprovou o filme, o que é garantia de que suas músicas foram liberadas, e de que haverá cooperação com os produtores no quesito 'verossimilhança'. O elenco cotado até agora para o filme é que ainda não consegui engolir: Joaquin Phoenix como Johnny Cash, e Reese Witherspoon como June Carter. É ver para crer.
* * *
Sobre o caso Phil Spector, as notícias ontem eram as de que ele era inocente, e Lana Clarkson haveria mesmo se suicidado. Hoje a coisa mudou de figura: a imprensa desmentiu essa história, visto que ainda há muitas evidências para análise, mas que as já analisadas colocam de fato Spector em maus lençóis.
* * *
Cara, o Benicio Del Toro está os córnios do Calvin quando tem sono.
* * *
Não acho nem um pouco bonita a manchete dos jornais de ontem, sobre o relatório do INPE (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) de que 41% dos estudantes brasileiros não chegam a terminar a 8ª série - e que, dos que terminam, pelo menos 39% já passaram da idade há muito tempo, e que pelo menos 21,7% destes repetiram de ano em 2000.
Segundo a mesma pesquisa, o salário médio dos professores de ensino médio é de R$530,00.
Ok.
Você, que mora com os pais e tem seu primeiro emprego pode achar isso um bom salário. Você, que está desempregado há meses e acha que qualquer duzentosreau está valendo, pode achar isso um bom salário. Você, que paga R$240,00 de condomínio mais R$80,00 de telefone, R$90,00 do Virtua, uns R$100,00 mensais de supermercado, R$35,00 de luz, vai ao cinema umas duas vezes por mês, toma anticoncepcionais, precisa ir ao dentista particular porque o plano de saúde não cobre, ficou gripado, foi visitar a família no interior, paga aluguel (porque hoje quase ninguém tem apartamento próprio - o meu mesmo não é meu, é do meu pai), tem carro (paga IPVA, estacionamento, gasolina, essas merdas) ou pega dois ônibus todos os dias..
R$530,00 não dá.
Corta o tesão de trabalhar. De pesquisar, de aprimorar o ensino. Pra não dizer que o infeliz que ganha R$530,00 por mês tem que se virar arrumando frilas e bicos, o que impede a dedicação exclusiva ao trabalho.
Pra não falar das famílias. A minha e a sua podem até ter se virado bem, conseguido bolsa pra escola particular, mas a maioria precisa dos filhos pra ajudar nas despesas. Ou não podem comprar livros e material escolar. Ou não tem dinheiro pro transporte pras crianças todos os dias.
Tá entendendo qual é o nosso problema?
Sabe qual é a MINHA solução pra isso? A carreira que escolhi, que ainda não consegui entrar por não estar capacitada o suficiente (SÓ diploma de faculdade ainda não me torna apta a faz isso), mas me dêem poucos anos de preparação pra ver só uma coisa.
* * *
Isso aqui promete ser a alegria das festinhas anos 80:
543 músicas que fizeram aquela década - todas COM AS LETRAS! (menos uma, instrumental, que ainda não consegui descobrir qual é porque não tive paciência para olhar todas, hah hah!)

terça-feira, março 11, 2003

Procurando umas imagens prum site que estou reformulando (nem te conto, nem te conto, obrigada pelo incentivo, Figurinha, esse site vai ficar *o brilho*!), dou de cara com o site alemão do filme "The Banger Sisters", com a Goldie Hawn e a Susan Sarandon, baseado em duas groupies famosas dos anos 70: Pamela Des Barres e Cynthia Plaster Caster.
Inveja é uma merda: a filhota Kate Hudson fez carreira como band-aid em "Quase Famosos" e mamãe Goldie pega carona fazendo nas telonas o que Pamela fez na vida real - passando o rodo no ROCK'N'ROLL.
* * *
Pamela pegou geral, correu atrás da fama de groupie com seu livro "I'm With The Band", mas quem se deu bem foi Cynthia Plaster Caster.
Ganhou homenagem do Kiss ("Plaster caster/ Grab a hold of me faster / And if you wanna see my love, just ask her", leia a letra na íntegra aqui), e certamente entrou para o MEU hall da fama freak com seu site pessoal.
* * *
Mais groupies e mais links freaks, em breve, aqui mesmo, nesse bat-blog.
Porque vocês sabem, meu lema é servir bem para servir sempre. A propósito, o site com a mãe da Liv Tyler pagando peitinho no auge de sua pitéuzice tem umas informações preciosas para o meu projeto.
Agora deixa eu trabalhar, heh.

segunda-feira, março 10, 2003

Back to basics
Este site ensina a fazer tudo como os homens das cavernas faziam - armas, instrumentos musicais, técnicas de pintura.. genial.
* * *
Timinho, hein?
Demorei 25 anos pra descobrir que Tom Petty, Jeff Lynne, Roy Orbison, Bob Dylan e George Harrison tinham uma banda. Juntos. Bem, nunca é tarde demais para descobrir coisas boas, certo?
* * *
Sou hippie mas sou limpinha
Na playlist de hoje:
- "Seasons in the sun", Cat Stevens (e a versão creditada ao Blink 182, mas não confio muito em arquivos "punk covers" depois de baixar muitas coisas que, supostamente seriam do Weezer)
- "Joy To The World", Three Dog Night
- "So Happy Together", Turtles
- "I Only Wanna Be With You", Bay City Rollers.
E é isso aí.
Eu sou o Funga-Funga, eu sou um pouco diferente/ mas não entendo por que todo mundo/ me olha como se eu não fosse gente!

Which Sesame Street Muppet Are You?
Which Sesame Street Muppet Are You?

* * *
O amor/ Ele é muito bom/ é bom se apaixonar/ pra gente ser feliiiiiz!
O QUE FOI o show d'Os Pedrero, pelo amor de Dio? Quanta ignorância (em matéria de panquerroque, isso é elogio!), quanta pureza! E as músicas novas do Go!? Maravilhosas! O show do Canastra foi lindo, só não digo que Squirrel Nut Zippers *perde* porque isso caracteriza heresia.
E os Netunos.. aaaahhhh os Netunos!
Os caras têm o poder de me deixar feliz em qualquer circunstância. Aliás, acho que eu e Márvio deveríamos ganhar o Troféu Perdeção De Linha Netúnica, isso sim! Foi bonito.. muito bonito.
* * *
Agora dá pra falar com mais calma da grata surpresa que foi receber minhas gatas Cami e Lu pra tomar banho e fofocar muito. Aliás, ontem teve foi assunto. Heh. Já estava com saudades.
* * *
Ontem teve cuba e energético de guaraná com catuaba e açaí, e pra desespero de alguns e alegria de outros, Cornolio voltou.

* * *
Esse era o teste que faltava:


Quem é você do Barrados no Baile?
Barrados no Baile era genial. Um bando de trintões fazendo papel de recém saídos da escola para a faculdade. Quase convincentes, não fossem as entradas na testa do Luke Perry, o bonitão que "interpretava", por assim dizer, o Dylan. Uns dois anos depois, foi a vez do Jason Priestley, o Brandon Walsh, dar sinais de que não era apenas um moleque. Mas a melhor era a Andrea Zuckerman.. qual era mesmo o nome da atriz? Uns dois ou três anos depois da estréia da série no Brasil (1990, se não me engano), houve a notícia do seu casamento. O lugar onde li sobre o assunto dava 36 anos para a futura jornalista da turma. 36! Fantástico.
* * *
Aliás, você também reparou que o personagem do Josh Brolin em "Os Goonies" TAMBÉM se chama Brandon Walsh ou só eu, nerd profissa, que me ative a esse detalhe?
* * *
Música do dia: Chica Alborotada, na versão impagável do Los Straitjackets.
..como assim você não conhece Los Straitjackets ainda..?

domingo, março 09, 2003

Eu AINDA preciso falar dos shows do Glamourama?
Ainda preciso falar de como é bom encontrar pessoas que não via há tempos, e conhecer ao vivo pessoas que eu estimo muito (Maryana! Tati!)? Ainda preciso falar de como esses festivais têm o poder de me tirar de casa com muito mais prazer do que uma ou outra festinha apenas com DJs, sem bandas?
Ainda preciso avisar que um festival que abriga Go!, Netunos e Canastra - a banda que um dia se chamou Influenza e tem o Renatinho (Acabou La Tequila) e o Edu (Big Trep) - é, definitivamente, o MEU lugar?
Não preciso, né?
Vou ali rever mais amigos queridos e tocar airguitar e dançar hula e babar na guitarra com flames e dadinhos do Bjorn e já volto.

sábado, março 08, 2003

Recuerdos de Ypacarai
Ok..
É chegada a hora..
Eu preciso confessar isso.. uma hora eu IA TER QUE SER SINCERA COM VOCÊS.
Eu GOSTO de "Lua de São Jorge". E de "Trem das Cores". E de "Lua e Estrela". Eu gosto dele tocando cheio de distorções e microfonias no festival. Pra não dizer que só gosto das coisas antigas do Caetano Veloso, eu gosto do "Estrangeiro" e do "Fina Estampa". Pronto, falei.
* * *
Também fiz o teste Que integrante do Gerador Zero voce eh ?
Eu sou o FZer0.
Ê!
* * *
Bom programa para hoje antes do festival no Ballroom:
"OS COWBOYS DE LENINGRADO VÃO PARA A AMÉRICA", na Sessão Cineclube do Odeon, às 20:15.
Os Leningrad Cowboys são os insanos que tocaram no Ballroom em outubro do ano passado e quase ninguém foi ver (povo "roque" do Rio de Janeiro, onde estavam vocês numa hora dessas?). Os caras desfiam um vasto repertório de covers bizarras, insanas, improváveis e METAAAAAAU, escondidos por topetes gigantes e um figurino esquisitão, e o show é realmente um show de ROCK.
* * *
Depois vamos todos ver Glamourama, Wander Wildner, Diego Medina.. se eu chegar a tempo de ver o ONNO, melhor ainda :)
* * *
A Aline já tinha avisado desse spam, mas eu não botei uma fé até receber em minha própria caixa de e-mails a inacreditável notícia de que a Teoria da Relatividade havia sido superada.
Inacreditável, nesse caso, é que uma teoria como a Teoria do Vortex precise ser divulgada por meio de spams, e não em revistas especializadas em ciência. A Teoria do Vortex parte do princípio de que o tempo não existe, é um fenômeno criado pelo movimento. Sem o conceito de tempo tal como o conhecemos, todas as teorias que se utilizam dessa variável vão por água abaixo. Inclusive a da Relatividade. A retórica deles em provar que o tempo não existe é que são elas..
Enfim, vale a pena digerir o site todo. O grande lance da ciência é que nada é definitivo e que todas as teorias podem ir por água abaixo. Mas eu realmente espero que isso não seja sério.
* * *
Eu sei que já falei disso aqui em algum passado remoto, mas imagina eu com uma guitarra dessas?

sexta-feira, março 07, 2003

Her name was Lola/ she was a showgirl
Ninguém merece voltar ao trabalho cantarolando os versos iniciais de "Copacabana", do BarryManilow, o dia inteiro.
E o pior é que hoje, os versos que martelam incessantemente minha cabeça são os de "Deixa chover/ deixa a chuva molhar".
Issaí. Guilherme Arantes.
Ninguém merece. Minto. Eu mereço.
* * *
Her name was Lia/ she was a rocker
Essa noite sonhei algo sobre ir com os Netunos comprar uns galões de tinta para fazer o cenário de alguma coisa, então aproveitei para fazer compras de páscoa: umas balas de chocolate recheadas com cereja, que eu fiquei pau da vida que minha tia Martha abriu e comeu antes de eu pagar.
Havia algo também sobre experimentar umas calças horrorosas na casa da minha mãe, e sobre desentupir banheiras com os ralos cheios de lodo.
Alguma relação com a realidade?
Não, obrigada. Assim espero.
* * *
Her name was Leia/ she was a princess
- Excesso de silicone faz seio de modelo explodir - Leia a notícia aqui.
- FAQ de como escrever uma FAQ, aqui.
- 50.000 irlandeses bêbados querem bater o recorde mundial de número de vozes num karaokê. Leia a íntegra aqui.
* * *
Estreou 'Chicago'
Alguém pra ver comigo? Alguém?
Poderes
Fico imensamente feliz quando as pessoas se preocupam comigo e me atribuem poderes que não tenho - você acha que se eu soubesse manipular pessoas eu estaria aqui ainda? Eu estaria era enchendo o rabo de grana fazendo mágica no Fantástico! Eu me meteria com política! Eu teria todas os continhos de merda que escrevi publicados e elogiadísimos! Eu hein.
* * *
Estou sentindo cheiro de projeção aí - não sou eu que fico reclamando a ausência das pessoas de quem me afastei porque quis ou em quem dei patadas a vida inteira. Não sou eu que viro noites elaborando formas fofas de conseguir atenção e mostrar "olha como eu sou legal", depois de ignorar meio mundo e destratar a outra metade. Pessoas frias, calculistas e psicopatas premeditam esse tipo de coisa, e ruminam seus planos durante meses, sabia? Pois é. Se quem me chama de psicopata age como um, é hora de rever seus conceitos.
* * *
Outro poder que ainda não consegui é o da invisibilidade - logo, alguém que me conhece/esbarra comigo negar minha presença/ existência no mundo soa tão insano quanto negar a existência de carros na rua.
Maluco 1 - "Não, cara! Carros não existem! Olha só como eu atravesso a rua e eles não me atingem!"
Maluco 2 - "Não, cara! A Lia não existe mais! Morreu pra mim! Ué, se ela morreu, como é que a presença dela me incomoda tanto que eu não consigo ficar em paz no mesmo recinto que ela?"
Ah, é, esqueci que certas pessoas têm o poder da mediunidade.
E eu, graças a deus, tenho o poder de me divertir com pouco. Heh.

quinta-feira, março 06, 2003

Notícias
Camarão de quase meio metro encontrado em Honolulu? Longa metragem do Chacrinha? Não haverá cerimônia do Oscar este ano?
Essas e outras você só lê no Conga Conga Conga News.
* * *
Da série: "Procuro, logo acho":
Hoje, numa conversa que só não era conversa de bêbado no pub porque ninguém estava bêbado, e falando de borboletas, Zebrinha do Fantástico enquanto trauma de infância e programação freak da TVS, lembrei do meu sonho.
Sonhei que eu era uma Pablo Impersonator.
Isso, eu pintaria o rosto com borboletas de purpurina, faria um ESCOVÃO no cabelo e imitaria o Pablo. Aquele, meu trauma de infância do Qual É A Música.
Era um programa do Silvio Santos - num estúdio muito tosco, diga-se de passagem - onde eu deveria dublar alguma música dos Secos e Molhados, como se fosse o Pablo. Eu contava com a Patty Gentil, instrutora de escova lá do Werner, que iria viajar. Entrei em pânico quando soube que a Ana Lucia, outra instrutora, não poderia ir - afinal, aquele cabelo 'príncipe valente' era imprescindível.
Minha imitação ficou para o dia seguinte, mas.. todo dia eu acordava e acontecia igual. Minto. No primeiro dia, esqueci da borboleta no rosto.
Não lembro de muita coisa, lembro do nervosismo, lembro do casting, lembro do teste na frente do espelho do camarim, lembro de cumprimentar seu Silvio, lembro de me emocionar ao ver aquele grupo do corinho do "Deixa pra lá/ deixa pra lá/ ome já maracugina que vem do maracujá!".
Infelizmente, não me recordo de ter efetivamente imitado o Pablo.
Foi isso.
Enfim, eu sei que ninguém aqui se interessa por sonhos doentios. Mas ei, esse é meu carderno de notas, ara.
Que raios, eu ainda sou normal.
* * *
Aguardem B.O.N.E.C.A..

quarta-feira, março 05, 2003

Quá quá quá!
Descobri porque eu sou a única dos meus amigos que não tem card no joguinho do Nix!
É que, de acordo com os critérios dele, eu tiraria 5 em tudo e ele não aguentaria me ver como supertrunfo, rá rá rá!
* * *
Ah, sim.
O Carnaval teve um ponto triste também.

(foto roubada do blog da Maryana)
Dona Celly, te desejo felicidades onde quer que você esteja.
Quarta Feira de cinzas É Oficialmente O Dia do Rock
Nem preciso falar da casa da Yael anteontem, trapalhões, cochilo na poltrona e jogo de cartas com prendas, ahn, DIFERENTES pra quem perdia. Nem preciso falar de sushi, discos da Doris Day a um real, Irish Pub, carnaval gay na Farme de Amoedo e de como eu terminei esse carnaval tão cansada que caí em cima da cama no último dia, e de lá não levantei. Agora vou falar do banner que meu amigo Claudio fez:


E de Elvis Ginger Gilmore, a prova viva de que não precisa ser homem pra imitar o Elvis, como você pode ver nessa foto:

* * *
Caraleo!!! O colecionador de orquídeas de "Adaptação" é o Ed Harris? Que puta trabalho de maquiagem, hein? - esquece, falei merda, no entanto deve ser por isso que ele estava irreconhecível, não era ele. Hah!
* * *
Which "Dead" Artist Are You?

Take the quiz at [clinically insane]

You are Elvis. What a way to go out, you died on the frickin' crapper. Sucker. Decades after your death, you broke the record for most chart-topping singles, therefore making you the most popular artist on Earth. We know you aren't dead. We know you spy on people from your attic. Weirdo.

* * *
Só pra constar, entraram aqui procurando por "Hábitos bizarros de Michael Jackson".
Eu prometo que, a esse, dissertarei sobre o assunto.
* * *
Então é isso, amiguinhos.
Vou ali ver o novo Star Trek e volto mais feliz ainda.

segunda-feira, março 03, 2003

Turma da praia
Quando sete nerds (1, 2, 3, 4, 5, 6, e 7) resolvem ir à praia, cai um temporal.
Até que o lance do camarote da Brahma furar foi uma boa mesmo.
As plumas das cabeças das fantasias estarão caidésimas e a Gisele Bundchen estará num mau-humor puto.
E entre cerveja e os drinks do Ranaur, adivinha o que eu prefiro?
Papo de Mãe
Me liga. Diz que tá vivo. Não precisa dizer onde está, não dou a mínima se você está no motel com sua namorada, só quero que você esteja seguro.
Sabe como é, filhão, no carnaval as pessoas perdem a linha.
Você sabe como são as pessoas. Em vez de fazer o que querem durante todas as suas vidas, vivem frustradas, se segurando, então sob o primeiro bom pretexto para se excederem, exageram. Perdem os limites, uma vez que não têm a medida para o que nunca fazem. Em vez de ficarem altas, entram em coma alcoólico. Em vez de fazerem amor com suas namoradas, saem por aí comendo todas. Qual é o propósito de beijar alguém, um ato tão íntimo, sem nem saber o nome da pessoa?
As pessoas no carnaval ficam vazias, filho.
Deixa a mamãe tranqüila. Me liga dizendo que está vivo. Eu confio em você, meu filho, não confio é nos outros.

domingo, março 02, 2003

Pré Carnaval
Sexta feira teve Zumbi do Mato e Glamourama na Nautilus.
Os três shows foram maravilhosos: os das bandas, e o de BrunoC cantando no karaokê indie.
É bom botar um ano de conversas em dia com alguém que, apesar de ser seu oposto, fez parte da sua vida durante anos. É bom ver os amigos, é uma merda se sentir indie oldschool - quando rolou Pelvs (a música do "I'm not saying I miss the carpet") e só eu dançando amarradona, acompanhando a letra, como se essa música tivesse marcado uma época foda, e de fato foi, só não me senti deslocada porque o Dj e sua consorte me entendem.. é bom também saber que.. que.. não. Dessa vez vou me conter.
O fato é que ver o rock/jazz demente do Zumbi e o rock-cada-vez-mais-arena do Glamourama me deu ROCK suficiente pra encarar a Feijoada do Amaral, ontem, no complexo de
entretenimento Méli Mélo/ Gattopardo..
* * *
Muitos tamanquinhos cor-de-caramelo e barriguinhas de fora. Toda a juventude sarada e morena de sol do RJ foi. Eu, do alto da minha Melissa de salto, customizei minha blusa patrocinada pela Bavária e, tal qual uma moça típica da referida região, fui promovida a 'estilista', 'modelista', 'costureira' e 'customizadora profissional'. Então tá, né?
* * *
Esse aí é o famoso QUEM?
De repente, algum apresentador de algum programa que nunca vi abraçava algum famoso de quem nunca ouvi falar, até eu ouvir da minha companheira de labuta, diante da minha interrogação na testa: "Ah, esse tem um quadro no Zorra Total", "Essa é casada com aquele cara baixinho", e por aí vai.
* * *
A Dercy foi. O Agildo Ribeiro foi. O André Correa, que era do 3o ano quando eu estava na 7a série do Centro Educacional de Niterói, e me sacaneava porque eu achava os colegas dele lindos, foi.
* * *
Quando franceses te perguntam se você é francesa e elogiam tua habilidade no idioma, é hora de rever certos objetivos profissionais, e aproveitar melhor esse dom.
* * *
A feijoada em si era boa pra caramba. Se todo mundo que faz feijoada tivesse condições de cozinhar cada carne numa panela diferente.. ah, esses caras têm a manha. Estou sentindo os efeitos da comida e da caipirinha até agora.
* * *
E hoje tem Netunos na Casa da Matriz. Mais rock pra me vacinar para a comemoração carnavalesca de amanhã: Camarote da Brahma. Como de praxe, depois explico. Só posso adiantar que a Yael e o Raul Gazolla estão envolvidos.
* * *
Música do Dia: Addicted to Love, do Robert Palmer, na versão cover do Ciccone Youth.
* * *
Hiro, não vai sair nesse bloco não?
* * *
E pra você, que já cansou de samba, suor e cerveja, puxe um copão de groselha gelada, ligue o ar refrigerado e baixe os sons do Commodore 64 remixados aqui.
Este site está em novo endereço: visite www.liaamancio.com.br para novidades e updates!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...