Este site está em novo endereço: visite www.liaamancio.com.br para novidades e updates!

quinta-feira, agosto 07, 2003

Roberto Marinho morreu.
Antes ele do que eu.
Antes ele que o Sílvio Santos.
* * *
E eu aqui pensando nos meus amigos jornalistas.. ora ora. Esses sujeitos importantes e de idade avançada já têm a pauta pronta.. é só atualizar a data.
* * *
Lou Reed, amigos, é foda. Por baixo daquele cabelo de Reginaldo Rossi (devem freqüentar o mesmo salão) existe um cara escroto pra caralho, mas sensível. Afinal, Lou Reed já foi casado com um travesti chamado(a) Rachel. Lou já namorou Laurie Anderson, minha musa nos anos 80, autora de boa parte das trilhas sonoras das peças que eu e a Bel fazíamos. Bel é minha amiga desde neném e nós nos divertíamos fazendo peças de teatro chatérrimas que nossas mães TINHAM que assistir. Mais a mãe dela, na verdade, porque a base do nosso teatro era na casa dela. Lembro que uma vez a gente colocou umas capas de chuva e começamos a dublar "Bolo de Chocolate", uma música cantada pelo Zacarias na trilha sonora de algum dos filmes dos Trapalhões que agora não me lembro qual era, mas não era nem Os Saltimbancos Trapalhões, nem Os Trapalhões na Serra Pelada e nem Os Trapalhões no Rabo do Cometa, porque essas eu tinha. Inclusive a primeira vez que ouvi Ira! foi na trilha sonora de "Os Trapalhões no Rabo do Cometa". A música que o Zaca cantava devia estar em "O Cangaceiro Trapalhão", mas não dou certeza. Que seja. Zacarias e Laurie Anderson entravam no mesmo barco e eram trilha para nossas manifestações ingênuas de criatividade infantil.
Hoje eu sei que aquelas óperas, verdadeiras obras completas - no sentido de não faltar nada (música, interpretação, artes plásticas, cenografia, dança) - eram chatas pra cacete.
Mas é porque a gente ouvia Laurie Anderson, não Lou Reed.
Lou Reed é um cara bom. Fala de heroína, de michê, mas fala isso aqui também, ó:
I Love You
When I think of all the things I've done and I know that it's only just begun Those smiling faces, you know I just can't forget 'em but I love you
When I think of all the things I've seen and I know that it's only the beginning You know those smiling faces, I just can't forget 'em but for now, I love you
Just for a little while oh baby, just to see you smile Just for a little while
When I think of all the things I've done and I know that it's only just begun Oh, smiling faces, Jesus, you know I can't forget 'em But for now, I love you
right this minute, baby now I love you
at least for now, I love you

* * *
"At least for now, I love you" é o trecho de amor mais sincero de uma música de amor. Porque não pressupõe promessas nem eternidade. É apenas amor. Pô, eu acho isso lindo.
* * *
Agora eu tou pensando, pelo menos a gente ouvia Laurie Anderson, que até hoje é reconhecida pelo "Home of the Brave", trabalho de vídeo + som + arte que parece ser a única coisa que ela fez. Assim, pelo menos a gente não ouvia Jean-Michel Jarre. Jean-Michel Jarre é meio fundo do poço. Sei lá.

Nenhum comentário:

Este site está em novo endereço: visite www.liaamancio.com.br para novidades e updates!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...