Este site está em novo endereço: visite www.liaamancio.com.br para novidades e updates!

segunda-feira, novembro 04, 2002

Dica do Haroldinho: MV-Brasil.org. Esses caras sempre me surpreendem com suas, ahn, intervenções urbanas.
* * *
Inversão de papéis
- Tudo bem?
- Tudo, graças a deus. Ou, se preferir, a um esforço pessoal.

Acredito que deus tenha sido feito à imagem e semelhança do homem, e não o contrário - uma vez que deus é um conceito criado pelo homem para explicar coisas inexplicáveis relacionadas à nossa criação - e não adianta vir com esse papo de Big Bang porque nada foi provado até agora - isso se mantém inexplicável sim.
* * *
Não acredito em Adão e Eva e estou até agora procurando o Elo Perdido.
Acredito em explicações científicas, e acredito que o Reiki e os passes energéticos podem ser explicados cientificamente: tem a ver com canalização de energia, e energia é quase fácil de explicar pela teoria das Supercordas. Acredito na astrologia, porque se a atração gravitacional da Lua influi nas marés, o que dirá do nosso corpo, que é feito basicamente de água? Note que os astrólogos sempre levam em consideração o lugar e a época em que você nasceu, o que de certa forma tem a ver com seu background cultural - um exemplo grotesco é o fato de que pessoas criadas em climas frios tendem a ser distantes umas com as outras, e pessoas criadas em cidades quentes tendem a ser mais.. quentes. É um péssimo exemplo mas faz total sentido. A astrologia também leva em questão problemas de comunicação e ruídos, que podem ser facilmente explicados por alterações energéticas em nosso campo gravitacional. Assim, se alguém disser que determinado planeta em determinada casa trará problemas na sua relação com os outros, acredite.
Já acreditei em extraterrestres, e não vejo sentido na raça humana ser o único exemplo de vida inteligente no universo. No entanto, me incomoda acreditar em algo que não me dá sinais de sua existência. Nunca vi um disco voador, acho essa história de chips uma enganação, eles nunca fizeram contato. E, rapaz, você não sabe o nó que dá na minha cabeça isso de acreditar em algo que não pode ser provado.
Não acredito em coincidências nem em acaso - não me pergunte como nem por quê, acredito que tudo o que acontece é porque tem que acontecer, faz parte do curso natural das coisas, e que os mínimos acontecimentos aqui ou aí podem influenciar o universo inteiro - lembra em "Parque dos Dinossauros", quando o Jeff Goldblum explica a Teoria do Caos? É bem por aí.
Se eu disser que acredito no poder da mente, a comunidade científica vai rir. Então digo que acredito em neurolingüística, que fica tudo ok.
E além disso, acredito em mim. Não essa baboseira de "acreditar que posso vencer", mas acredito que, se eu quiser algo, não poupo esforços para conseguir. E aí você cai naquele diálogo do início do post, sobre esforço pessoal - não, estou longe de ser deus. Mas sou quase tão poderosa quanto Ele. Afinal, sou filha dele. Ou seria mãe - já que nós criamos deus à nossa imagem e semelhança etc etc etc?
* * *
Ele?
* * *
Esse post vai virar um artigo, e foi escrito ao som de "I'm a Believer", dos Monkees. Não, não foi. Mas você acreditou, não acreditou?

Nenhum comentário:

Este site está em novo endereço: visite www.liaamancio.com.br para novidades e updates!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...